Abril 2015 - Vico Massagista e Quiropraxia - São José SC - Massagem Terapêutica, Massoterapia, Shiatsu, Ventosa

COLABORE COM O SITE, CLICANDO NOS ANÚNCIOS. OBRIGADO

COLABORE COM O SITE, CLICANDO NOS ANÚNCIOS. OBRIGADO

COLABORE COM O SITE, CLICANDO NOS ANÚNCIOS. OBRIGADO

quarta-feira, 29 de abril de 2015

Como Eliminar a Congestão Nasal em Menos de um Minuto com Acupressão







A congestão nasal é um incômodo problema que acontece quando as mucosas do nariz se inflamam como resultado da presença de germes e alérgenos. Ela é desencadeada por vários fatores e geralmente é tão incômoda que impede que muitas pessoas realizem suas atividades diárias com normalidade.

Clínica de Massagem Terapêutica em São José - Centro (SC) - Massoterapia - Mãos que Curam

Muitas vezes, a congestão nasal é um sintoma que nos indica que estamos próximos a adoecer de griperesfriado ou outras doenças. Também pode se originar por algum tipo de alergia, mudanças climáticas ou contaminação, entre outros. Seja qual for a causa da congestão nasal, a maioria de nós nos sentimos muito incomodados quando sofremos deste mal, já que impede que respiremos normalmente e inclusive pode desencadear fortes dores de cabeça.
Quais são as principais causas da congestão nasal?
Como mencionamos anteriormente, a congestão nasal é um sintoma comum dos resfriados, gripes ou alergias. É muito importante levar em conta qual é o tipo da causa pata atuar contra ela e encontrar o melhor remédio para combatê-la.

Clínica de Massagem Terapêutica em São José - Centro (SC) - Massoterapia - Mãos que Curam

* Resfriados: O resfriado é uma das principais causas da congestão nasal. Quando sofremos de resfriados, começamos a sentir irritação no nariz e é comum que tenha espirros em espaços de 5 minutos.
* Alergias: Muitas pessoas possuem diversos tipos de alergias que frequentemente causam congestões nasais. Há quem seja alérgico a giz, pólen, terra ou pó, pelos de animais, entre outros. Este tipo de congestão acontece porque os pulmões se fecham como um método de defesa diante destes agentes que considera perigosos. Neste caso, também podemos levar em conta os espirros para saber se se trata de uma alergia ou um mal estar.
* Mudanças climáticas: Devido a uma mudança climática brusca, pode baixar nossas defesas ou ocorrer algum tipo de alergia. Da mesma forma, a congestão nasal pode aparecer imediatamente após uma corrente de ar.
Dependendo do tipo da causa da congestão nasal, devemos começar a buscar a forma adequada para combatê-la. Sempre que possível, devemos combater sua causa para acabar por completo com o sintoma. Porém, como sabemos é muito difícil eliminá-la por completo, queremos compartilhar uma grande alternativa para eliminar este incômodo sintoma em somente um minuto.
Após conhecer esta excelente alternativa para combater a congestão nasal, você não irá mais querer usar medicamentos para lidar com o problema. Esta é uma solução fácil, saudável e muito eficaz para combater os problemas da secreção nasal.
Como eliminar a secreção nasal em um minuto?

Clínica de Massagem Terapêutica em São José - Centro (SC) - Massoterapia - Mãos que Curam


Além de parecer incrível o fato de poder curar a congestão nasal em somente um minuto, o fato é possível graças a uma técnica de acupressão compartilhada pela medina tradicional chinesa. Esta simples técnica é ideal para aliviar diferentes tipos de dores, uma vez que possui a capacidade de desentupir as fossas nasais.
A acupressão é uma técnica muito eficaz que consiste em fazer pressão em determinados pontos do corpo com a ponta dos dedos, de forma a área é pressionada e liberada. Você deve realizar três veze ao dia.
Ponto de pressão 1: Lóbulo da orelha: Massageie suavemente 10 vezes.
Ponto de pressão 2: Atrás do lóbulo da orelha, na parte inferior, justamente debaixo da cartilagem. Pressione e solte 10 vezes, sem fazer nenhum tipo de pressão diretamente sobre a cartilagem.
Ponto e pressão 3: Em cima do nariz, justamente entre as sobrancelhas: realize uma leve pressão sobre esta área do rosto durante um minuto. Este ponto em especial é ideal para evitar que os seios nasais se sequem e inflamem.
Ponto de pressão 4: Bochechas, justamente no ponto que se encontra diretamente sob a pupila do olho. Nesta área do rosto se pressiona e solta. Este ponto de pressão ajuda a liberar os seios nasais para combater a congestão.
Ponto de pressão 5: Parte inferior das fossas nasais: Localize as pontas dos dedos na parte inferior das fossas nasais, pressione suavemente com um movimento circular e repita 10 vezes seguidas.











segunda-feira, 27 de abril de 2015

Saiba prestar os primeiros socorros em caso de contusão muscular, contratura muscular e lesão muscular





Saiba prestar os primeiros socorros em caso de contusão muscular



Diminua a dor e os hematomas com gelo ou elevação da área machucada

Uma pancada no futebol, mau jeito na musculação ou um tombo mais forte são causas comuns de contusão muscular, acidente que deixa marcas roxas (hematoma), provoca dor e até, em alguns casos, compromete os movimentos na região afetada. "Esse tipo de lesão agride os músculos e, às vezes, o tendão", afirma o fisioterapeuta Evaldo Bósio, da clínica Prime, de São Paulo. Os cuidados certos na hora em que pancada acontece são fundamentais para encurtar o tempo de recuperação e diminuir a gravidade do problema. Veja quais são os primeiros socorros no caso de uma contusão muscular e aprenda como reagir à situação. 



Saiba prestar os primeiros socorros em caso de contusão muscular, contratura muscular e lesão muscular

Coloque uma bolsa de gelo

No momento do trauma é de grande importância o uso do gelo para evitar ao máximo o sangramento intramuscular e o hematoma na pele. "Esse procedimento impede que ocorra um processo inflamatório exagerado, que pode atrapalhar na cicatrização da lesão", afirma o educador físico Adriano Coronatto, personal trainer de São Paulo. Aplique uma bolsa de gelo envolta numa toalha de pano, por aproximadamente 30 minutos, na região afetada.

O especialista explica que cubos de gelo, embrulhados em saco plástico e toalha limpos, também funcionam. "O contato direto do gelo com a pele pode provocar queimaduras, por isso uma toalha é necessária". Evite também o uso de bolsa de água quente sobre esse tipo de lesão. Isso vai aumentar o sangramento, o hematoma, o processo inflamatório e a dor, já que o calor favorece a dilatação dos vasos e o sangramento local.  


Saiba prestar os primeiros socorros em caso de contusão muscular, contratura muscular e lesão muscular

Eleve o membro afetado

"Se você bateu a perna ou o braço é interessante deixá-los numa altura acima do coração", explica Evaldo Bósio. Esse posicionamento permitirá que o sangue seja drenado dessa região em direção ao coração, melhorando o processo inflamatório e amenizando o sangramento. O acúmulo de sangue pode aumentar o hematoma na pele, gerando dor e queimação no local. 

Saiba prestar os primeiros socorros em caso de contusão muscular, contratura muscular e lesão muscular

Comprima

Fazer uma compressão sobre o local da lesão também ajuda a evitar que um grande volume de sangue se desloque para a região afetada, já que o sangue enfrentará uma maior resistência para chegar à lesão, brecando o processo inflamatório. O fisioterapeuta Evaldo Bósio explica que a compressão pode ser feita até com a bolsa de gelo e uma faixa elástica ou toalha. A pressão tem que ser firme, mas não pode apertar demais ou doer. Mantenha a compressão até que seja feito o atendimento médico. 


Saiba prestar os primeiros socorros em caso de contusão muscular, contratura muscular e lesão muscular

Proteja a região
Proteger a região lesionada é um dos cuidados mais básicos para quem sofre uma contusão, isso porque esse tipo de machucado pode esconder uma fratura ou outra lesão mais grave. "Quando a lesão acontecer nas pernas, evite pisar no chão e a mantenha sempre em elevação até que o diagnóstico médico seja feito", diz o fisioterapeuta Evaldo. Para os braços, vale imobilizar a região contundida com talas.  

Saiba prestar os primeiros socorros em caso de contusão muscular, contratura muscular e lesão muscular

Mantenha repouso

Um tecido mantido em repouso após uma lesão se recupera de forma muito mais eficiente. "Mexer muito numa área lesionada pode agravar a lesão, já que as estruturas envolvidas na contusão podem se machucar ainda mais", afirma Adriano Coronatto. Além disso, evitar movimentos desnecessários é muito importante para que as dores não sejam agravadas. Essa conduta também evita que haja complicações de outras lesões ainda não diagnosticas. O tempo recomendado de descanso varia conforme a gravidade da lesão, mas costuma girar entre 24 e 48 horas. 

Saiba prestar os primeiros socorros em caso de contusão muscular, contratura muscular e lesão muscular

Remédio só com prescrição médica

Antes de pulverizar uma área lesionada com spray, saiba que esses produtos apenas resfriam a área e dão uma sensação de frescor, por isso uma bolsa de gelo é mais eficiente. "Nunca faça uso de remédios por conta própria, o ideal é procurar é buscar uma prescrição médica para medicamento ou fisioterapia, quando houver necessidade", afirma Evaldo Bósio. 

Saiba prestar os primeiros socorros em caso de contusão muscular, contratura muscular e lesão muscular

Procure ajuda médica

Após os primeiros socorros, o ideal é procurar um serviço médico para obter um diagnóstico mais preciso da lesão. "Isso pode ser determinado com exames de imagem, como o ultrassom, e ressonância magnética, que permitem a visualização do músculo", afirma o fisioterapeuta Evaldo. O Raio X só mostra se existe algum tipo de fratura nos ossos, além de lesão muscular. 


Esporão no calcanhar compromete a mobilidade de quem sofre com a doença


Esporão Calcâneo e Fascite Plantas - esporão, uma doença que se caracteriza pela formação óssea provocada pela tração de um músculo ou tendão com o osso na região do calcanhar, joelhos ou cotovelos, provocando uma inflamação.
Esporão Calcâneo e Fascite Plantas - esporão, uma doença que se caracteriza pela formação óssea provocada pela tração de um músculo ou tendão com o osso na região do calcanhar, joelhos ou cotovelos, provocando uma inflamação.


Esporão compromete a mobilidade de quem sofre com a doença

Sobrepeso e uso de calçados inadequados são algumas das causas do problema




De repente, uma fisgada dolorida no calcanhar ou na planta do pé paralisa os movimentos. O andar fica comprometido, ficar em pé também é sofrível e a pessoa que sofre com o ataque precisa até ser carregada. Trata-se do esporão, uma doença que se caracteriza pela formação óssea provocada pela tração de um músculo ou tendão com o osso na região do calcanhar, joelhos ou cotovelos, provocando uma inflamação. Uma vez que o quadro clínico se estabelece a dor torna-se crônica e deve ser tratada com medicamentos e fisioterapia. A doença atinge jovens e adultos e apresenta períodos críticos marcados por dores intensas e outros de estabilidade, caracterizados pela ausência de dor, o que pode dificultar o diagnóstico?, explica o ortopedista Jorge Mizusaki.

O grande entrave para a recuperação completa é que a lesão ocorre em estruturas que são bastante estratégicas em nosso esqueleto e o repouso completo se torna difícil. ?É quase impossível pedir para alguém não mexer o pé ou o cotovelo. Eles são estruturas chaves para nossa mobilidade?, diz o ortopedista Fabio Ganum . 


Estrutura dos pés




Fisgada intensa marca a doença. Esporão compromete a mobilidade de quem sofre com a doença Sobrepeso e uso de calçados inadequados são algumas das causas do problema
Esporão

Jorge Mizusaki explica que a planta do pé é composta por estruturas elásticas (músculos) e rígidas (fáscias), que potencializam a força dos músculos flexores curtos dos dedos e funcionam como uma espécie de alavanca. Na prática, essas estruturas aumentam a eficiência do impulso, que é acionado quando o calcanhar se distancia do solo. Um estresse excessivo nesta região provoca um estiramento da fáscia, originando fissuras e inflamação.

Quando o esporão é localizado nos pés, tipo mais comum, parece uma espécie de bico de papagaio pendurado no calcanhar ou na planta do pé. O problema pode atingir a planta do pé ou o calcanhar de Aquiles. Como não é visível a olho nu, é detectado após a realização de uma radiografia. Quem está mais suscetível ao problema são atletas, pessoas que trabalham em pé por longos períodos ou, ainda, aquelas que sofrem com sobrepeso, já que esses grupos estão mais suscetíveis ao atrito maior nas regiões onde há a junção de osso com músculos e tendões. Outro fator prejudicial é o uso de sapatos inadequados, cuja sola não tem salto, como é o caso das sandálias rasteiras, Como estes calçados possuem a superfície reta, a tração do solo sobre a planta dos pés, que é curva, vai ser muito maior.  

Esforço exagerado

Segundo o ortopedista Jorge Mizusaki, as causas mais frequentes estão relacionadas à intensidade de tração provocada no local, portanto, é uma doença de causa mecânica. "Quanto mais causamos atrito nas regiões onde ocorre o esporão, maior é a chance de desenvolver a doença. Outro grupo de causa está relacionado a doenças reumáticas", diz. Os sintomas clássicos correspondem à dor intensa, após um período de repouso, que pode acontecer depois de dormir ou depois de ficar sentado por muito tempo. O tratamento, em geral, envolve medicamentos, medidas de reabilitação em fisioterapia, eventualmente o uso de palmilhas e até procedimentos cirúrgicos.  



Como surge a fascite plantar, popularmente conhecida por esporão calcâneo?



fascite plantar, esporão calcâneo, causas, tratamento, caseiro, cuidados, prevenção, dores, é, calcanhar, arco do pé, queimação, fisgadas, remédio natural, exercícios, alongamentos, cura do esporão calcaneo
fascite plantar, esporão calcâneo, causas, tratamento, caseiro, cuidados, prevenção, dores, é, calcanhar, arco do pé, queimação, fisgadas, remédio natural, exercícios, alongamentos, cura do esporão calcâneo

Como surge o esporão de calcanhar?



Atente-se para os cuidados necessários com esta região


A cada ano, cerca de um milhão de brasileiros e 2,5 milhões de americanos procuram os consultórios de ortopedistas queixando-se de dores no calcanhar.

A maior parte desses pacientes apresenta um problema chamado fasciíte plantar, ou fascite plantar, popular esporão calcâneo, uma inflamação no tecido que recobre os músculos da sola do pé, comumente chamada de esporão. 





Vídeo:  Saiba tudo sobre Esporão de Calcâneo - Quando há uma pressão excessiva na região dos pés, é comum que as dores apareçam. Quando o calcanhar recebe pressão demais, é possível desenvolver o esporão de calcâneo.   Nesse vídeo, o nosso fisioterapeuta explica tudo o que você precisa saber sobre dor no calcanhar e o esporão. 


Para entender a origem do esporão de calcanhar é importante lembrar que a planta do pé é composta por estruturas elásticas (músculo) e rígidas (fáscia), que potencializam a força dos músculos flexores curtos dos dedos e funcionam como um braço de alavanca.

Na prática, essas estruturas aumentam a eficiência do impulso, que é acionado quando o calcanhar se distancia do solo.


"As pessoas mais suscetíveis ao problema são mulheres com idade entre 40 e 50 anos, atletas, pessoas que trabalham em pé por longos períodos ou, ainda, aquelas que sofrem com sobrepeso,"

Um estresse excessivo nesta região provoca um estiramento da fáscia, originando fissuras e inflamação. Entre as principais causas estão a retração do tendão calcâneo conhecido popularmente como tendão de Aquiles e pés com a curvatura acentuada, rígidos, pouco flexíveis ou pronados.




Quem está mais suscetível ao problema são atletas, pessoas que trabalham em pé por longos períodos ou, ainda, aquelas que sofrem com sobrepeso,

Há, ainda, incidência significativa de casos entre as que trabalham em pé por longos períodos ou que sofrem com sobrepeso. O tratamento é principalmente clínico, realizado por meio de exercícios de alongamento do tendão de Aquiles e da fascia plantar.

Estudos revelam que 80% dos portadores de esporão de calcanhar melhoram após seis a oito semanas de tratamento.

Além da fisioterapia, medicamentos para amenizar as dores e conter a inflamação podem ser benéficos.

Ao persistir a doença, especialistas recomendam a terapia de ondas de choque extracorpórea. Os tratamentos cirúrgicos costumam ser raros, cabendo a casos muito específicos.

sexta-feira, 24 de abril de 2015

Cloreto de magnésio para ansiedade, insônia, refluxo gástrico, azia e dores musculares e nas articulações




Cloreto de magnésio para ansiedade, insônia, refluxo gástrico, azia e dores musculares e nas articulações.


Recebi esta mensagem de uma amiga, que preciso compartilhar com as consciências que me visitam. Estou fazendo uso do cloreto de magnésio a duas semanas e meu joelho não está doendo mais. Vou continuar, paguei 4 reais na farmácia, uma profilaxia fácil e barata. Leiam com atenção, eu sei que o texto é grande, partilhe, se gostar, imprima, vamos utilizar a informação para que com a experiência se forje o conhecimento.






Redescobrindo o magnésio


Porque é que a Industria da Doença não quer que os benefícios do Magnésio sejam conhecidos?

O uso de cloreto de magnésio tem sido pouco difundido, devido em grande parte a um sistema de crenças que fazem parte do paradigma do homem moderno. Em vez de se condenar quem explora a ignorância do povo, faríamos, penso eu melhor, responsabilizar quem exige ser enganado.

Hoje existe opção de escolha, em relação aos canais televisivos, houve-se reclamar que a TV é o ópio do povo, mas quem tem maiores níveis de audiência?

– Quem promove a cultura, a boa vontade e a igualdade, ou quem oferece, sangue, dor sofrimento com programas que só mostram onde o homem é capaz de descer, e transforma-se a miséria mais profunda da alma, num espetáculo bem mais deplorável que o circo de Roma há 2000 anos.

Magnésio

– fora dos interesses das grandes Industrias da Doença

É verdade que existem grandes interesses por parte da indústria farmacêutica, principalmente da indústria da diabetes, a indústria do Cancro e da indústria das doenças cardiovasculares, em não prevenir a doença, assim como os governos, em obedecer aos Cartéis da droga.

Estes três monstros mundiais têm o poder em suas mãos de calar as investigações de grandes médicos que dedicaram suas vidas pelo bem da humanidade.

Podemos nomear centenas e decerto ficariam injustamente milhares por citar. Desde o Dr. Hamer a Dra. Hulda Clark todos sabemos o quanto custou caro a todos que pela sua integridade e honestidade, tentaram informar com rigor quem era utilizado e manipulado ao belo prazer da indústria da Doença.

Tudo o que possa fomentar a saúde e o bem-estar, está longe de ser aceite tanto pela indústria que progride na doença, como das vítimas que fazem da sua vida um rosário de lamentações, e não pretendem sair de sua zona de conforto.



Cloreto de Magnésio – O Santo Remédio

Chamado de “mineral da bela” pelos chineses antigos, a sua beleza é vista no poder de cura absoluta que ele contém. É nada menos que um mineral milagroso. Ele tem a chave para centenas de reações enzimáticas essenciais e nos processos celulares.

Cloreto de Magnésio, quando fornecido em quantidades suficientes, pode melhorar a fisiologia celular de uma forma muito poderosa.

Cloreto de Magnésio PA

Sem o magnésio nosso corpo colapsa, avaria, perde a energia, não consegue efetuar reparos aos danos sofridos.
 O cloreto de magnésio pode ser considerado como uma solução médica milagrosa para a humanidade. Quando os níveis celulares baixos são corrigidos é isso que parece, que um milagre ocorreu. Inúmeras queixas se vão sem nenhum dos remédios modernos, que intoxicam e não cumprem o papel de curar. Na minha clínica vejo isso acontecer diariamente.










O que é Cloreto de Magnésio?


O Cloreto de Magnésio PA é um composto químico inorgânico, de fórmula MgCl2, constituído por um íon magnésio e dois íons cloreto. É usado na medicina, para fins terapêuticos, como fonte de íons de magnésio, essenciais para muitas atividades celulares.

Qual a Função do Cloreto de magnésio?

A função principal do magnésio é na ativação enzimática – este mineral está envolvido em mais de 350 reações enzimáticas essenciais à vida, abrangendo todos os aspectos da fisiologia humana. Também tem ação direta na produção de ATP, a molécula de energia do nosso corpo, no funcionamento do músculo cardíaco, na formação de ossos e dentes, no relaxamento de vasos sanguíneos, na função intestinal, e em muitos outros órgãos e tecidos.

As duas funções mais importantes do magnésio são regular o metabolismo do cálcio no organismo: fixar cálcio onde necessário e elimina-lo donde provoca doença. As calcificações na coluna, as calcificações nas articulações, as calcificações nas artérias, ocorrem por carência de magnésio. As calcificações nos rins, (cálculos de oxalato de cálcio), ocorrem por falta de magnésio. Basta repor magnésio que ele derrete esses cálculos renais, que não sejam os de urato e fosfato.

Onde se concentra no corpo o Cloreto de Magnésio?

Aproximadamente 60% do magnésio está armazenado nos ossos, 26% nos músculos, e os 14% restantes estão distribuídos pelos outros tecidos e fluidos corporais. Há uma alta concentração de magnésio nos órgãos mais activos metaforicamente, como o cérebro, coração, fígado e rins. O magnésio é tão precioso para o corpo que fica quase todo guardado dentro das células, no compartimento intracelular. Somente 1% do nosso magnésio total circula pelo sangue.

Níveis de Magnésio no Corpo

Quase sempre o magnésio se encontra dentro dos níveis de referência considerados normais. Se o magnésio presente no sangue estiver baixo, isto significa que a situação está crítica e há uma deficiência crônica e perigosa. Na verdade a deficiência de magnésio deve ser medida pelos sinais e sintomas que o indivíduo apresenta, e as estimativas são de que 80% da população têm carência de magnésio.

Fatores que acarretam carência de Magnésio:

– Solo pobre em Magnésio e o uso de adubos químicos N.P.K. (Nitrogênio, Fósforo e Potássio). Por antagonismo o nível de potássio absorvido pela planta inibe a absorção do Magnésio.– Consumo excessivo de gorduras saturadas, laticínios e proteínas na alimentação diária;
– Prática de esportes ou de exercícios de alta intensidade, que provocam muita sudorese;
– Regimes de emagrecimento prolongados;
– Uso habitual de diuréticos e ou de laxantes;
– Mulheres que fazem uso regular de pílulas anticoncepcionais ou reposição de estrogênio;
– Elevado consumo de bebidas alcoólicas e ou excesso de refrigerantes à base de cola;
– Dietas ricas em carboidratos (açúcar) e sal refinado;
– Estados frequentes de ansiedade e “stress”;
– Consumo elevado de produtos a base de Cálcio.

Sinais de Carência:

A deficiência de magnésio pode ser detectada a partir de queixas, desconfortos e diversas doenças presentes no indivíduo: Ansiedade, pânico depressão, insônia, nervosismo, hiperatividade, desordem de atenção, doenças cardíacas, tromboses, hipertensão arterial, doenças hepáticas, doença renal, cálculos, cistites de repetição, diabetes hipo glicemia, fadiga crônica doenças intestinais, obstipação, asma, tensão pré-menstrual, infertilidade, cólica menstrual, verrugas.

Irritabilidade dos nervos e músculos, inclusive tiques nervosos e cãibras transtornos neurológicos e psíquicos, como dores de cabeça, vertigens, cansaço visual, tremores nas pálpebras, batimentos cardíacos irregulares (taquicardia). distúrbios glandulares, transtornos digestivos, lentidão no funcionamento do fígado, contrações da vesícula biliar, micções noturnas e problemas na próstata.

Dosagem do uso do magnésio:

O cloreto de magnésio em pó deve ser diluído em água filtrada ou mineral. Para 1 litro de água coloque 1 colher de sopa, o equivalente a 20 gramas de cloreto de magnésio. Misture até dissolver e guarde no frigorifico. A dose básica a ser tomada é 50 ml (1 copinho de café) 1 a 2 vezes por dia. Para o tratamento de deficiências mais sérias esta dose pode ser aumentada para 3 a 4 vezes por dia. Se houver qualquer reação adversa, como diarreia, náusea ou sonolência, reduza a dose.

Para a limpeza de feridas a proporção é de 1/5 colher de sopa 10 gramas para 1L de água filtrada ou fervida. Além do efeito bactericida, esta solução de cloreto de magnésio estimula a imunidade local, o que ajuda a acelerar a cicatrização.

Suplemento Alimentar

O magnésio é de enorme importância no uso do dia a dia. Todos o deveríamos tomar.
Os alimentos hoje são muito pobres em magnésio. O motivo é simples: as plantas precisam muito do magnésio para respirar – o mecanismo clorofílico, a fixação do gás carbônico e eliminação do oxigênio é um processo realizado através do magnésio.

Acontece que o adubo químico que se usa hoje em dia é o NPK – nitrogênio, fósforo e potássio. Ou seja, não se repõe o magnésio na terra. Antigamente – quando as cidades eram todas de casas que tinham fossa – o magnésio que é eliminado pelas fezes voltava para o lençol freático. Hoje os esgotos são tratados e as terras encontram-se cada vez mais pobres em magnésio.

Há contra-indicação para o uso do Cloreto de Magnésio?

O Magnésio não deve ser tomado por pessoas que tenham insuficiência renal. Porque o magnésio em excesso é eliminado pela urina. Se a pessoa não estiver urinando, pode passar de uma hipomagnesemia – que é o comum – para uma hipermagnesemia.

Os “milagres científicos”

Apesar de toda a fortuna investida pelos grandes laboratórios na busca de medicamentos fabulosos e mirabolantes, no século 21 a humanidade continua sendo vitimada por doenças crônicas e degenerativas cuja incidência aumenta cada vez mais.

Diabetes, doença cardíaca, câncer, obesidade, doenças neurológicas, depressão, osteoporose – estas pragas modernas explodem e fogem do controle de autoridades médicas, sanitárias e governamentais, e o pior é que eles estão perdidos e confusos sobre os factores básicos ligados à saúde.

A simplicidade do magnésio

A base da verdade científica na medicina está no magnésio, pois ele está no centro exato da vida biológica, assim como o ar e a água.

Magnésio na clorofila

Magnésio é o elemento central na clorofila e a base do início da vida no planeta.

A luz da vida

No centro da molécula de clorofila, presente em todas as plantas, está um mineral essencial para a vida, o magnésio. É ele que captura a luz solar e a transforma em energia num processo conhecido como fotossíntese. É interessante notar que a clorofila é quase idêntica à hemoglobina, uma molécula presente no nosso sangue e responsável pela oxigenação dos tecidos – a diferença entre estas duas moléculas é que o átomo central da hemoglobina é o ferro, e o coração da clorofila é o magnésio.

Nas plantas é o magnésio que vai transformar a luz em alimento. Deste fato depende toda a vida na face da Terra. Se as plantas não tiverem magnésio, elas não são capazes de se nutrir através dos raios solares. Quando o magnésio está deficiente a planta definha, perde o viço e começa a morrer. Nós somos assim também – não poderíamos respirar, mover os músculos ou usar nosso cérebro sem magnésio suficiente em nossas células.


Fonte: Dra. Tamara Mazaracki 
https://www.facebook.com/dra.tamaramazaracki/






O Magnésio no tratamento da Ansiedade


A ansiedade pode afetar a nossa vida de uma forma dramática. Os transtornos de ansiedade estão se tornando cada vez mais comuns, ecada vez mais jovens sofrem deste distúrbio.

Além de uma Higiene mental focada na mudança das crenças – formas de analisar as experiências do dia-a-dia – o Magnésio aparece como fundamental para um equilíbrio emocional.

O Magnésio è um nutriente mineral vital, e um dos mais importantes remédios naturais para a ansiedade, por causa da sua eficácia, registo de uso seguro, disponibilidade e valor.

A Ansiedade e a sua saúde

A ansiedade prejudica a concentração, causa insônia, aumenta o risco de doenças graves,problemas crônicos, e até mesmo acidentes fatais. Na verdade, a ansiedade pode prejudicar tanto a nível mental, quanto físico e emocional.

Apesar de existirem inúmeros medicamentos para a ansiedade no mercado hoje em dia, estes vêm com uma longa lista de efeitos colaterais e preocupações de segurança, já para não falar no risco de dependência de drogas duríssimas usadas para esse efeito, como é o caso das benzodiazepinas.

Efeitos colaterais dos medicamentos ansiolíticos incluem perda da libido, obstipação, tonturas, sonolência, boca seca, fadiga, dificuldade de concentração e muitos mais.

Não deveríamos ter que conviver com esses efeitos colaterais terríveis, nem devemos ser submetidos a ser dominados por sentimentos de ansiedade.

Felizmente o magnésio oferece uma solução segura e eficaz para a ansiedade, sem os efeitos colaterais.

Magnésio para a Ansiedade

A deficiência de magnésio pode causar ou piorar os sintomas de ansiedade. A deficiência neste mineral pode resultar num corpo tenso e uma mente ansiosa.

O Magnésio naturalmente acalma o sistema nervoso e os músculos.

O magnésio relaxa o sistema nervoso por diversos mecanismos. Além de agir na musculatura contraída, ele também é bloqueador natural de um receptor cerebral chamado NMDA. Este receptor é estimulado pelo cálcio levando a uma hiperexcitação do cérebro, com irritabilidade, ansiedade, depressão e stress. O magnésio age como antagonista, impedindo esta hiperexcitação, ajudando a acalmar o sistema nervoso.



Fontes:

http://www.naturalnews.com/031034_magnesium_anxiety.html
http://www.easycalm.com/natural-remedies-for-anxiety.htm
http://www.emedicinehealth.com/anxiety/article_em.htm





– “Penso 99 vezes e nada descubro… deixo de pensar, mergulho em profundo silêncio… E eis que ‘algo’ me revela a Verdade” (Einstein)




Método natural Andreas Moritz para limpeza de pedras e gordura do fígado e da vesícula biliar - ajuda com enjoos, digestão difícil, refluxos e mau funcionamento do fígado e intestinos



Método de de Andreas Moritz para limpeza  de pedras e gordura do fígado e da vesícula biliar - ajuda com enjoos, digestão difícil, refluxos e mau funcionamento do fígado e intestinos

Este método foi retirado do livro "Limpeza do fígado e da vesícula", de Andreas 
Moritz, que pode ser encontrado nas boas livrarias.

Esta limpeza é séria, funciona e deve ser seguida à risca para que o resultado seja alcançado com sucesso. 


Ela limpa o fígado e a vesícula.


Mas não deve ser feita por pessoas gravemente enfermas.



Muito importante saber antes de iniciar esse tratamento:  você deve sempre consultar um médico ou especialista antes de fazer um tratamento como este.


Este texto é meramente informativo e é apenas uma forma de o blog compartilhar com os leitores o tratamento descrito nos livros acima citados.


Feitos esses esclarecimentos, vamos à limpeza.



Segundo os livros, eis alguns sintomas de quem tem problemas na vesícula ou no fígado:
  • Dificuldade para digerir comidas oleosas.
  • Sono e/ou peso após as refeições com comidas que contêm gordura (carne, pequi, fritura, cozidos com óleo, abacate, etc.).
  • Mau humor e irritabilidade frequentes.
  • Manutenção de uma alta taxa de glóbulos brancos (os leucócitos, entre eles os eritrócitos, linfócitos e neutrófilos).
  • Febre interna frequente.
  • Sistema imunológico deficiente contra infecções.
  • Baixa capacidade de proteção do corpo.
  • Retorno de sintomas de doenças.
Ainda conforme os livros, a limpeza é recomendada para casos clínicos hepáticos envolvendo o fígado ou a vesícula, fígado "gordo", síndrome do intestino irritado, inflamação dos intestinos, colite, intolerância a alimentos, dificuldades digestivas e outros relacionados ao sistema digestivo inferior.

É comum muitas pessoas, incluindo crianças, terem pequenas pedras nos finos dutos do fígado e também armazenadas na vesícula. Algumas desenvolvem alergias ou reações na pele e outras não apresentam quaisquer sintomas. Quando a vesícula é examinada com raio-X ou outros aparelhos nada é visto, pois na maioria das vezes essas pedras não estão na vesícula e também porque os equipamentos não conseguem detectar corpos muito pequenos ou que não sejam compostos de cálcio.

Existem mais de meia dúzia de variedades de pedras biliares, e a maioria tem cristais de colesterol como núcleo. No núcleo de cada pedra há um aglomerado de bactérias, de acordo com cientistas.





Vídeo Limpeza de Fígado e Vesícula Biliar:  LIMPEZA DO FÍGADO E DA VESÍCULA - DR. ANDREAS MORITZ



Com as pedras se acumulando nos dutos, a pressão anterior no fígado se eleva e faz com que ele entregue menos bile e com que possa haver vazamento de bilirrubina para a corrente sanguínea. Com menos bile sendo entregue aos intestinos, menos colesterol deixa o corpo e os níveis de colesterol passam a se elevar bastante.

Além disso, essas pedras são porosas e as bactérias, vírus e parasitas que passam normalmente pelo fígado podem se aderir às paredes das pedras, formando focos de infecção interna que fornecem ininterruptamente microorganismos nocivos ao corpo.

Nenhuma infecção estomacal como úlceras ou inchaço intestinal pode ser totalmente curada sem remover essas pedras do fígado.

Para melhores resultados e para evitar um mal-estar após o processo, recomenda-se fazer antes a limpeza de parasitas seguida da limpeza dos rins e tratamento de cáries.

Independentemente da limpeza dos rins é importante beber bastante água e suco para que todas as toxinas possam ser expelidas (Dra. Clark recomenda as demais limpezas para um processo integral, mas elas não são pré-requisitos desta).

SEGURANÇA DA LIMPEZA


Esta limpeza é muito segura. A Dra. Hulda Clark se baseou em mais de 500 casos, incluindo pessoas de mais de 70, 80 anos. Nenhuma teve que ir ao hospital ou relatou dores. Mas pode-se sentir um mal-estar por um ou dois dias após a limpeza, embora em cada um destes casos a limpeza de parasitas foi negligenciada. Após a limpeza de pedras da vesícula e do fígado são esperados os seguintes resultados:

  • Desaparecimento de crises hepáticas.
  • Desaparecimento de alergias, dores nos ombros, nas partes superiores dos braços e nas costas, a cada limpeza.
  • Aumento da energia para o dia a dia.
  • Melhora da digestão.
  • Melhora da saúde como um todo, já que a boa digestão é a base da boa saúde.




Vídeo Limpeza de Fígado e Vesícula Biliar: A limpeza real consiste no dia da limpeza propriamente dito, neste vídeo você verá o passo a passo para fazer a limpeza do fígado e da vesícula, a preparação do sal amargo e do azeite com laranja e limão, os horários para toma-los e todo o procedimento da limpeza do fígado e da vesícula de forma simples e objetiva. Limpar o fígado e a vesícula é ganhar saúde e bem-estar! Boa saúde para você!


PREPARAÇÃO PARA A LIMPEZA

  • Na semana que antecede a limpeza, tome diariamente 1 litro de suco de maçã para amolecer as pedras.
  • Sal-amargo (ou sulfato de magnésio, sal de epsom ou MgSO4 + 7H2O) - 4 colheres de sopa (60 g)
  • Água mineral (ou água pura) - 3 copos (750 ml)
  • Azeite de oliva (extravirgem, primeira pressão a frio) - ½ copo (125 ml)
  • Limão fresco (qualquer tipo de limão, de preferência orgânico, ou grapefruit) - de 2 a 4 grandes (o suficiente para encher 2/3 de copo com suco, uns 180 ml)
  • Canudo para ajudar a tomar o óleo.
  • Observação: É melhor lavar os limões antes duas vezes com água quente e secá-los a cada vez.

Escolha um dia como sábado para a limpeza para descansar no dia seguinte. Não tome qualquer remédio, vitaminas ou pílulas sem os quais você possa ficar, pois eles podem atrapalhar o processo de limpeza. Se estiver fazendo a limpeza de parasitas, pare 1 dia antes. É importante salientar que não se aconselha fazer a limpeza enquanto o estado de enfermidade estiver muito agudo.

PARTE 1 – CAFÉ DA MANHÃ

Sugestões: chás (menos de mate, preto, chocolate e café), evite ingerir pães (nem bolo nem biscoito, porque contêm óleo), sucos de vegetais, de verduras ou legumes e mel. Isso fará com que a bile se acumule e aumente a pressão anterior (atrás), o que favorece a limpeza porque mais pressão significa empurrar mais pedras para fora. Também mais bile descerá à vesícula e nela se acumulará.

PARTE 2 – ALMOÇO

Faça uma comida leve, livre de qualquer gordura – não coma leite, coalhada, ovos, carnes (por causa do colesterol), azeite, manteiga, queijos, margarinas, abacate, patês, requeijão, castanhas, nozes, amêndoas, etc. – e evite proteínas e produtos que contenham cafeína (café, chá, etc.). Sugestão: a mesma acima.

PARTE 3 – PAUSA DE INGESTÃO

Às 14 horas pare de comer ou beber. Se você quebrar esta regra poderá se sentir muito mal mais tarde. Prepare nessa hora o sal-amargo:

Misture bem quatro colheres de sopa de sal-amargo (todo o recomendado) e os três copos de água (750 ml) em uma jarra. Distribua todo o conteúdo em 4 copos e coloque na geladeira.

Nota: Você pode acrescentar vitamina C em pó à água ou substituir a água por suco puro de limão, de maçã ou de grapefruit para melhorar o gosto.

PARTE 4 – PRIMEIRO COPO

Às 18 horas, beba o copo 1 da mistura de sal-amargo que está na geladeira. Você pode bochechar com alguns goles de água após beber o sal-amargo para lavar a boca. Se já não estiverem, deixe os limões (ou grapefruit) e o azeite fora da geladeira para ficarem à temperatura ambiente.

IMPORTANTE: Você pode ir ao banheiro a qualquer hora que tiver vontade, menos durante o repouso (após beber o óleo com limão).

PARTE 5 – SEGUNDO COPO

Às 20 horas, beba o copo 2 da mistura de sal-amargo que está na geladeira. Você pode bochechar com alguns goles de água após beber o sal-amargo para lavar a boca. Mesmo não tendo comido desde as 14 horas, você não sentirá fome. Já é hora de se preparar para dormir. Coloque tudo o que você precisa por perto porque o tempo com que os próximos passos são executados é fundamental para o sucesso da limpeza.

PARTE 6 – PREPARANDO O COPO DE ÓLEO E LIMÃO

Às 21h45 ou um pouco antes, separe meio copo de azeite de oliva (125 ml) e esprema os limões (ou grapefruit) até encher ¾ de outro copo, removendo a polpa com um garfo ou passando por uma peneira ou coador. Deve restar pelo menos ½ copo. Misture o suco espremido com o azeite. Coloque em uma jarra ou recipiente fechado (ou no liquidificador ou mixer de mão), tampe e chacoalhe bastante para misturar bem. Note que só o suco de grapefruit permite que a mistura fique homogênea. Portanto, talvez seja preciso mexer bem antes de beber a mistura. Agora vá ao banheiro uma ou mais vezes, mesmo que atrase a hora de tomar o óleo (às 22h), mas não passe mais de quinze minutos das 22 horas.

PARTE 7 – BEBENDO O ÓLEO

Às 22 horas, tome toda a mistura de óleo e limão.

ATENÇÃO: Você deve beber o óleo estando em pé, não deitado.

Dicas para beber o óleo

Se tiver dificuldade para beber o azeite com limão (e terá que beber até a última gota), use alguns artifícios: bata no liquidificador ou mixer de mão para misturar bem; use um canudo para evitar que o líquido passe pelas papilas gustativas; tome mais devagar (não passe de 5 minutos para tomar tudo; pessoas mais idosas ou doentes podem estender até 15 minutos); alterne alguns goles com um pouco de mel.

IMPORTANTE: Não vá ao banheiro durante o repouso (até 1 hora e meia após beber o óleo com limão).

Deite-se imediatamente após beber o óleo. O quanto antes você deitar mais pedras sairão. Ao terminar de beber, dirija-se para a cama e deite na posição de costas (de barriga para cima) e com a cabeça no travesseiro. Se não fizer isso poderá não expelir as pedras. Portanto, esqueça a cozinha e atenha-se ao dormir. Tente pensar sobre o que está acontecendo no fígado. Você poderá sentir as pedras caminhando pelos dutos biliares, mas sem dor porque as válvulas da vesícula e dos dutos biliares estarão abertas, graças ao sal-amargo.

Tente ficar completamente parado na mesma posição (de costas) pelo menos por 1 hora (melhor se forem 2 horas imóvel). Esvaziar a mente e dormir é o melhor a fazer agora.

PARTE 8 – O DIA SEGUINTE E O TERCEIRO COPO

Ao despertar, tome o copo 3 de sal-amargo, mas não antes das 6 horas da manhã. Se você tiver alguma indigestão ou náusea ao acordar, aguarde até que passe, antes de beber. Depois de beber, pode voltar para a cama.

PARTE 9 – QUARTO E ÚLTIMO COPO

Duas horas depois de tomar o terceiro, beba o copo 4 do sal-amargo. Se quiser, volte para a cama.

PARTE 10 – COMER

Duas horas depois da última dose de sal-amargo, pode comer novamente. Comece com suco de frutas ou um copo de clorofila. Depois de 2 horas, pode comer comida normal, mas prefira alimentos leves, de fácil digestão e com pouco ou nenhum tempero (principalmente condimentos). Você deverá se sentir restabelecido ao fim da tarde.

Nota: Alimentos bem leves são aconselháveis durante este dia. Afinal, quase todo o percurso dos intestinos (uns 5 a 7 metros) terá se esvaziado durante a limpeza.



.
Vídeo Limpeza de Fígado e Vesícula Biliar: Dúvidas, Perguntas Frequentes e Dicas. Existem Riscos ao fazer essa limpeza? Quem pode fazer e quem não pode? Descubra nesse vídeo!


COMO SABER SE A LIMPEZA DEU RESULTADO?

Espere por uma leve diarréia logo pela manha (talvez não imediatamente após acordar). Ela é necessária para que as pedras que desceram da vesícula possam ser expelidas para fora do corpo.

Pode-se usar uma lanterna para ver as pedras no vaso. Procure pela esverdeada, pois ela é prova de pedra biliar genuína - e não resíduos de comida. Só a bile do fígado é verde como uma ervilha. O verde pode estar bem claro ou mais escuro (pedras formadas há mais tempo).

Se quiser ver melhor as pedras, coloque algum tipo de peneira de furos maiores (grossa) no vaso (acima da água). A diarréia fará com que as fezes passem diluídas pelos furos e as pedras ficarão na peneira.

MAS É IMPORTANTE NÃO HAVER CONTATO COM AS FEZES PARA NÃO OCORRER NENHUMA CONTAMINAÇÃO! USE A PENEIRA SOMENTE SE TIVER CURIOSIDADE.


O melhor é visualizar e descartar o quanto antes, pois as pedras geralmente estão contaminadas por bactérias, microorganismos nocivos e até vermes. Não adianta usar luvas ou "proteção" porque alguns são menores que os poros da luva e entram novamente no organismo pela pele.

Geralmente, para que a pessoa se livre completamente de alergias, bursite e dores na parte superior das costas, cerca de 2 mil pedras terão que ser expelidas. Mas esse número de pedras é o resultado da soma de algumas limpezas seguidas. A primeira limpeza talvez livre a pessoa de alguns sintomas por poucos dias, mas assim que as pedras da parte anterior do fígado começarem a descer para frente os sintomas retornam.

Pode-se repetir a limpeza com intervalos de 2 semanas, pelo menos (sugerimos 20 dias a 1 mês). Nunca faça a limpeza quando estiver doente.

São esperadas de 50 a 200 pedras ou cristais por evacuação.

Este procedimento contradiz vários pontos de vista médico. Acredita-se que as pedras biliares são formadas na vesícula biliar, não no fígado. Pensa-se que são algumas e não milhares. Os médicos não as ligam às dores além daquelas que atingem a vesícula. E é fácil compreender isso: quando a dor aguda aparece, várias pedras já estão na vesícula e são grandes e suficientemente calcificadas para serem vistas nos raios-X e, claro, já causaram inflamações lá. Quando a vesícula é retirada, as dores se vão, mas outros sintomas, como bursite e outras dores e problemas digestivos, continuam.